Grupo Millo – Italian – Atelier Colezzi e Euromobile
26 de September de 2018

Percebendo um considerável aumento na procura do escritório por vítimas de GOLPE DO LEILÃO, constatamos que este crime está cada vez mais presente, em especial porque esta modalidade de compra apresenta boas oportunidades de preços quando comparados com aqueles normalmente praticados pelo mercado tradicional. Contudo, muitos oportunistas, criminosos – estelionatários, estão se aproveitando para enganar os consumidores e, a um só tempo, tirar-lhes o dinheiro e a esperança de um novo veículo. Assim, recomendamos muita cautela neste tipo de operação, bem como apresentamos aqui algumas dicas na tentativa de colaborar em uma compra com menor risco.

Considerando que normalmente as vítimas chegam aos criminosos através de sites de buscas na internet, recomendamos muita atenção aos seguintes pontos:

  1. As juntas comerciais fornecem relação completa dos leiloeiros de cada Estado, fornecendo NOME COMPLETO – CIDADE – TELEFONES – SITE (São Paulo não fornece o site. Santa Catarina fornece site) – E-MAIL – SITUAÇÃO (se o leiloeiro está apto para atuar ou não), além de outras informações.
  2. É fundamental que se proceda uma detalhada comparação de todos os dados, por exemplo: site “verdadeiro”, nuncamaisleiloes.br; falso, nuncamaisleiloes.com/br/. Perceba-se que neste exemplo o site falso tenta imitar o endereço do “verdadeiro” para confundi-lo, mas em uma atenta análise será possível perceber a diferença: com.br / com/br/; no falso, ao invés de “com.br” temos “com/br/”. A diferença poderia ser qualquer outra – por exemplo nuncamaisleilloes.com.br ou nuncamaisleiloes.com. Daí porque, recomenda-se um comparativo minucioso.
  3. Não se comunique por telefones, inclusive WhatsApp, ou e-mail que não estejam no cadastro da Junta Comercial do seu Estado.
  4. Normalmente o cadastro no site do “leiloeiro” é pré-requisito para acessar os bens de determinado lote. NÃO SE CADASTRE antes de efetuar a análise acima apresentada, pois, sendo um site destinado à prática do estelionato, os seus dados estarão disponíveis aos criminosos para eventual utilização em outros crimes, como por exemplo financiamento bancário.
  5. NUNCA ACESSE A RELAÇÃO DE LEILOEIROS ATRAVÉS de QR CODE enviado por terceiros, porque este poderá conter uma falsa relação incluindo o “leiloeiro” criminoso, fazendo com que se acredite se tratar de profissional habilitado; para essa finalidade acesse diretamente à junta comercial por meio dos links nesta apresentados (é gratuito).
  6. Quando comprar em um leilão, após haver se certificado de que não se trata de fraude, JAMAIS DEPOSITE DINHEIRO EM CONTA BANCÁRIA QUE NÃO SEJA DA TITULARIDADE DO LEILOEIRO.
  7. Hoje no Brasil há quase 1.000 sites de falsos leilões, seja utilizando a técnica de fazer um site semelhante ao verdadeiro, seja um criminoso se passando por um leiloeiro devidamente habilitado – daí a importância de JAMAIS PAGAR EM CONTA DE TERCEIROS.
  8. Havendo dúvidas, não compre; procure o seu advogado para uma análise detalhada (contato@jvadvocacia.adv.br).
  9. CLIQUE AQUI PARA ACESSAR A TABELA DE SITES FALSOS
  10. A prática deste tipo de fraude se enquadra no crime de estelionato – art. 171 do código penal, devendo a vítima procurar um advogado para representar criminalmente contra os fraudadores, pois neste tipo de crime a ação penal só se procede mediante representação do ofendido. Importante destacar que mesmo antes de propor a ação penal será possível se buscar medidas cautelares de arresto e sequestro de bens valores com a finalidade de indenizar os prejuízos havidos com a fraude.
  11. A ação cível é o meio comum para recuperação dos valores independe da responsabilização penal, podendo se buscar medidas de urgência tais como bloqueio de contas bancárias e bloqueio cautelar de bens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *